Música, Espiritualidade e Instrumentos Xamânicos

Música, Espiritualidade e Instrumentos Xamânicos

 A essência Arte & Sintonia acredita na espiritualidade manifesta no cotidiano. Para além dos momentos de oração e meditação, concebemos o desenvolvimento espiritual como uma presença do nosso dia-a-dia. Desde nossas interações com o coletivo à pequenos atos tidos muitas vezes como banais. A espiritualidade também se manifesta em nossa relação com a natureza e na maneira como expressamos nossa criatividade.

Viver é uma experiência espiritual e toda atividade é um ritual. Uma representação de como o plano espiritual está profundamente conectado ao plano terreno é o mantra "OM" que vibra na frequência de 432Hz e se encontra em qualquer manifestação da natureza. Sendo assim, da perspectiva terapêutica, conclui-se que a pronúncia desse mantra proporciona relaxamento e efeito calmante.

Entendendo a riqueza espiritual das vibrações rítmicas, nota-se que a música serve como canal de expressão de nossa energia emocional e espiritual. Ouvindo e fazendo música podemos desatar nós de angústia e também celabrar momentos de alegria. Seja no âmbito individual ou coletivo, desde os primórdios da humanidade musicalizamos ritos, cultos e outras atividades espirituais. Musicalizar os sentimentos e emaná-los ao espírito são rituais ancestrais. Conheça alguns instrumentos musicais que acompanham a humanidade em seus rituais desde os tempos mais remotos.

 

Didgeridoo e seus benefícios terapêuticos

O didgeridoo é um instrumento de sopro dos aborígenes australianos.
didgeridoo é um instrumento de sopro dos aborígenes australianos.

Segundo pesquisadores e historiadores, esse é o instrumento musical mais antigo do mundo. Estudos arqueológicos feitos a partir de pinturas rupestres apontam que o povo aborígene da região do Kakadu já o utilizava há cerca de 1500 anos. O Didgeridoo ou Yidaki, como também é conhecido, é um aerofane, instrumento de sopro onde o som é provocado pela vibração do ar e tem origem australiana. É feito a partir de madeira proveniente do tronco do eucalipto e às vezes , para sua construção, também podem ser utilizadas espécies nativas de bambu.

Evidenciando a ancestralidade da cultura aborígene e a potência transcedental de seus instrumentos musicais de sopro, esse instrumento também apresenta benefícios para saúde. O artigo científico "O Uso do Didgeridoo Para Pessoas Ansiosas" escrito por estudantes universitários do curso de Naturalogia da Universidade Anhembi em 2008, comprovou diversas propriedades terapêuticas no uso do Didgeridoo. Incluindo desde a melhora da respiração e combate ao  tabagismo à redução de sintomas de ansiedade. Na loja online Arte & Sintonia você encontra esse instrumento ancestral em espiral e desenvolvido artesanalmente com pintura étnica por artesãos de Bali. Com estrutura rústica e estilo étnico, além de produzir mágicas vibrações sonoras, o Didgeridoo  também compõem belos ambientes decorativos.

 

A origem africana da Kalimba

A Kalimba pertence à família dos lamelofones e é feita a partir de matéria prima de madeira e côco.

Com a melodia considerada sagrada e de origem africana, especificamente da região sul do Zimbabue, a Kalimba é um instrumento que, segundo a sabedoria ancestral é considerado um presente divino. Com som relaxante, suas notas despertam a espiritualidade.

Também conhecida como Mbira ou Quissange, pertence à familia dos lamelofones, que são instrumentos constituídos por lamelas que, a partir das suas vibrações produzem som. Nossas Kalimbas possuem adornos pintados à mão por artesãos balineses. Feitas artesanalmente a partir de madeira e côco, evidenciam características da arte balinesa.

 

Djembê e sua vibração ancestral 

Multifacetado, o som do Djembê transita por vários ritmos musicais.
Multifacetado, o som do Djembê transita por vários ritmos musicais.

 

Originário de Guiné, na África Ocidental, o Djembê é um tambor constituído por uma pele de cabra esticada sobre um corpo de madeira em forma de cálice, com a parte superior mais larga. Oriundo das culturas Mandigo, Bambara e Melinke, a criação desse instrumento data do século XII, no Império Mali. Sua percussão tem sonoridade grave e intensa, capaz de resgatar a ancestralidade. A mística ornamental desse instrumento nos brinda não somente com boa música mas também visualmente, podendo conter belos adornos decorativos. Multifacetado, o Djembê encontra-se presente em vários ritmos musicais e é utilizado também em diversas práticas ritualísticas

 

Tigela Tibetana na prática Zen

A liga entre quatro metais ou mais é o que determina a intensidade do som na tigela tibetana.

 

Conhecida como Tigela Tibetana ou Sino Orin, essa Arte Zen tem origem asiática. Nossas Tigelas Tibetanas são feitas artesanalmente na Índia, país onde a tradição metalúrgica data mais de 5000 anos. Feitas a partir de uma liga de quatro metais que determinam sua intensidade sonora. Utilizadas, principalmente, em momentos de relaxamento, rituais Budistas, Yoga e/ou outras práticas espirituais.

Reconhecido pelo seu papel de cura através do som e com profundo potencial terapêutico, o Sino Orin é capaz de aliviar tensões e estresse. Seu tamanho pode variar, de acordo ao diâmetro. Tigelas menores produzem sons mais delicados e agudos, enquanto as maiores apresentam sons mais fortes e graves.

Namastê!

Vitória Michels - Arte & Sintonia

Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados.

Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de privacidade e os Termos de serviço do Google se aplicam.

Lançamentos exclusivos:

1 do 8